fbpx

Como funciona o picking na logística?

Picking é o termo mais comumente usado no mundo corporativo para se referir ao processo de separação de produtos do estoque da empresa para envio aos clientes.

Separar os pedidos de forma manual pode ser um grande problema para a área logística da empresa, principalmente com a tendência de crescimento do e-commerce depois da pandemia. Afinal, com o aumento das encomendas, os afazeres nos Centros de Distribuição (CDs) vão ficando cada vez mais complexos.

Isso se dá a partir da elevação na quantidade de entregas, que propicia a ampliação do volume de itens para gerenciar no estoque. Embora isso seja positivo para o negócio, são mais atividades para controlar: mão de obra, equipamentos, veículos, emissão de notas fiscais etc. Nesse contexto, o processo de picking da logística traz respostas precisas para preencher os gaps do setor.

Mas você sabe o que é o picking, ou como aplicá-lo? É o que vamos abordar neste conteúdo. Continue a leitura e entenda!

O que é picking?

Trata-se do conjunto de atividades que abrangem a preparação do pedido até que ele seja encaminhado do depósito para o transporte. Esse processo envolve tarefas cruciais, tais quais:

  • encontrar a mercadoria;
  • movimentar-se até ela;
  • trazê-la para o veículo;
  • dar baixa nos documentos necessários.

Quando há falhas recorrentes em tais funções, essa perda de eficiência operacional se traduz em perda efetiva de dinheiro. Com um bom processo de picking, por outro lado, as operações fluirão melhor, retrabalhos são evitados e economias podem ser capturadas.

Quais os benefícios do picking para a empresa?

Antes mesmo da Covid-19, as vendas online já estavam em alta. Contudo, o novo coronavírus modificou os hábitos de consumo, atraindo cada vez mais clientes para a compra digital. Por essa razão, continuar administrando uma empresa de logística em papel e prancheta se tornou inviável.

Assim, a maioria dos gestores do setor ambiciona otimizar seus processos. Mas por que nem todos conseguem? A resposta está na falta de metodologia. Desse modo, o picking cai como uma luva, uma vez que é uma técnica criada especialmente para suprir as falhas de processos manuais.

Com um picking bem-feito, é possível selecionar as posições dos produtos de forma mais vantajosa dentro do depósito, atender aos pedidos por ordem de urgência e acionar os recursos humanos conforme cada demanda. Veja as vantagens do picking na logística:

Ganho de tempo nas movimentações de operadores e produtos

A movimentação dos colaboradores até a mercadoria é uma das atividades mais caras e demoradas nesse segmento. Apesar disso, com as técnicas de picking, é possível achar os produtos mais rapidamente, criando meios para reduzir o tempo de chegada dos funcionários até eles.

Redução nos atrasos

Ao levar mais organização para o depósito, o picking ajuda a empresa a entregar uma vivência de compra mais tranquila e satisfatória. Afinal, o que o cliente deseja é ter a mercadoria em mãos dentro do prazo combinado. Isso tudo sem intercorrências como danos ou troca de pedidos.

Ou seja, a preparação das encomendas tem uma profunda conexão com o nível de contentamento do público. Por esse motivo, muitas empresas de logística têm optado pela integração do e-commerce com as táticas de picking e de CRM (Customer Relationship Management).

Elevação da capacidade produtiva

Com uma movimentação mais veloz, a mesma quantidade de trabalhadores e de máquinas pode atender a mais pedidos. Desse modo, fica mais simples expandir o desempenho dos indicadores financeiros.

Formas de se fazer o processo de picking?

Dependendo do tamanho do estoque, do porte da empresa e da quantidade de operadores envolvidos no processo de separação, o pinking pode ocorrer de diferentes formas.

Para ambientes com baixa complexidade, pequeno volume ou em que os produtos não possuam códigos de barras, o picking pode ser feito de forma manual sem a leitura de códigos de barras nos produtos. Quando não se utiliza coletor de dados, o sistema emite um relatório de separação dos produtos, que pode ser ordenado por prioridade (para atender primeiro os pedidos mais urgentes) ou por localização de estoque (para facilitar o deslocamento do operador pelo armazém).

Já em empresas mais estruturadas, com muitos operadores e grande volume de pedidos, é recomendável o uso de coletores de dados, que otimizam o processo, evitam erros operacionais e garantem maior eficiência ao processo.

Como usar o coletor de dados e o endereçamento de estoque?

Como já dissemos, o picking é uma prática para administrar a circulação de produtos dentro do depósito de forma otimizada. Assim, trata-se de uma metodologia pautada em recursos técnicos — dentre eles, podemos destacar a coleta de dados e o endereçamento logístico.

Na prática, da mesma forma que identificamos vias públicas, fazemos nomeações para elementos do armazém. Desse modo, componentes do armazém como corredores, colunas e andares de prateleiras recebem numerações. Esse verdadeiro mapa é chamado de endereçamento dos produtos.

Já um sistema coletor de dados coloca informações para favorecer o negócio. Com o domínio completo dos registros, é viável armazenar com mais inteligência tática, aproveitando melhor os espaços. Isso vai refletir na rotina, tornando o dia a dia menos confuso.

Assim, ocorre um efeito cascata em todas as encomendas. Em outras palavras, é possível reduzir o tempo de localização dos itens— por meio do coletor de dados, consegue-se saber quais são os artigos campões entre os indicadores de vendas, por exemplo.

Com tal informação, podemos destinar a esses produtos aos lugares mais acessíveis do armazém. Por outro lado, quando uma mercadoria de baixa procura ocupar um espaço mais nobre, esse erro será detectado e corrigido.

Como implementar o picking na logística?

Você deve estar se perguntando: como fazer o picking na prática? Por onde devo começar? Bem, primeiramente, é preciso compreender que cada empresa tem uma realidade. Assim, não existe um modelo único de adesão à técnica. Mesmo assim, separamos algumas dicas valiosas que servem para vários segmentos. Confira!

Armazene de forma estratégica

O primeiro passo é fazer um mapa de todos os espaços disponíveis no armazém. Em seguida, classifique essas posições com diferenciais como proximidade da saída e altura mais baixa.

Depois, comece a colocar as mercadorias mais procuradas nessas áreas mais interessantes. Siga o raciocínio inverso para os produtos com menor número de solicitações.

Entenda as peculiaridades do seu negócio

Como já explicamos, a melhor estratégia de picking depende do tipo do negócio. Por essa razão, estude as características da sua empresa. Em outras palavras, não existe uma modalidade de seleção de pedidos mais eficiente do que outra.

Assim, as diferenças não estão nas categorias de picking em si, mas na adequação correta de cada vertente para cada tipo de companhia. Desse modo, itens como quantidade de pedidos, presença de sazonalidades ou produtos frágeis vão interferir nessa escolha.

Selecione o picking mais útil para a corporação

Como acabamos de explicar, as demandas são diferentes conforme a natureza do negócio. Por essa razão, existem várias categorias de picking para escolher. Acompanhe as principais:

Picking discreto

Um mesmo funcionário acompanha todo o processo (localização, coleta, baixa de documentos e liberação para o transporte). Desse modo, apenas uma pessoa se responsabiliza pelo picking do começo ao fim de cada pedido. Nessa categoria, os erros são menores, mas o tempo gasto para concluir o serviço é maior.

Picking por zona

Divide-se o depósito em áreas e cada equipe de operadores realiza as demandas de seu setor. Esse método costuma ser mais eficiente do que o picking discreto.

No entanto, podem haver barreiras para equilibrar o aproveitamento da mão de obra entre as diversas zonas. Ou seja, corre-se o risco de funcionários ociosos em uma área e, ao mesmo tempo, outros sobrecarregados em espaços diferentes.

Picking por onda

Nessa versão de picking, as encomendas são reunidas por critérios variados: rota, região de entrega, formato do produto, nível de risco etc. Esse tipo de picking é bastante útil para depósitos refrigerados de frigoríficos. Assim, os profissionais coletam mais mercadorias de uma única vez, passando menos tempo em condições de vulnerabilidade.

Picking de grandes volumes

O picking para grandes volumes separa grandes quantidades de produtos em volumes fechados. Desse modo, podem ser caixas, pallets ou outros tipos de embalagens industriais.

Ele serve muito bem para encomendas muito volumosas, como o próprio nome já se autoexplica. Seu benefício é fazer menos esforços repetitivos e aproveitar melhor o tempo e os recursos.

Adote sistemas de informação focados em picking

A utilização de saídas tecnológicas potencializa a eficácia do picking. Assim, com softwares focados em logística, o empreendedor coloca as estratégias para rodar de forma automática.

Geralmente, esses programas trazem ferramentas que apontam em segundos os melhores posicionamentos para cada produto e rastreiam as movimentações das mercadorias. Além disso, eles oferecem instrumentos que distribuem as tarefas de modo inteligente para aproveitar melhor o tempo, a mão de obra e as máquinas.

Sistemas mais robustos como o ERP TOTVS Protheus possuem módulos e processos específicos para atender às necessidades da Logística, permitindo o uso integrado de informações de vendas, estoque e endereçamento, gerenciamento do armazém (WMS) e o uso de coletores de dados (ACD).

Também é possível colher os benefícios da integração com outras interfaces, como softwares de CRM (Relacionamento com os Clientes) e plataformas de e-commerce.

Portanto, o picking é uma tática essencial na logística, que abre espaço para redução de custos e otimização de processos. Por meio dessa metodologia, é viável ter um cotidiano mais produtivo no depósito, com menos esforços e mais agilidade.

Mas as vantagens não param por aí: os gestores conseguem melhorar a entrega lá na ponta, aumentando a satisfação do cliente de forma contínua. Gostou do artigo? Que tal ficar sempre por dentro das novidades na inovação empresarial? É simples, siga a gente nas redes sociais — estamos no Facebook, LinkedIn e Twitter!

atosdata

Esta postagem possui 0 respostas

Comentários aberto

Deixe uma resposta

Você pode usar esses atributos do HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>